segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Valeu o esforço...

Já a braços com a segunda rodada de trabalhos para o meu curso, saiu agorinha mesmo o resultado da disciplina que faltava para saber todos os resultados da primeira rodada.
 
Não poderia estar mais contente...
 
A nota média das 5 disciplinas é de 92,5%.  (preciso de um babete!)
 
Estou com um sorriso de orelha a orelha e espero continuar a atingir os objetivos!

A minha agenda

Esta semana a minha agenda está demasiado cheia!
Amanhã logo de manhã festa de Natal no Jardim-de-infância...
Quinta-feira consulta de obstetricia...
Sexta entrega das avaliações...
 
Pelo meio e até sexta-feira 3 trabalhos académicos para realizar.
 
Ainda agora chegamos a meio da Segunda-feira e já me sinto estafada...
 
Por mais que queira... por enquanto não posso abrandar!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

coisas de dom Pimpolho

Dom Pimpolho até agora tem manifestado muito interesse pela gravidez. A ultima pergunta que me fez foi:
- Mamã, as tuas maminhas já têm leite?
- Ainda não filho.
- E o teu leite vai ser branco ou com chocolate?
- ...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Update

27 semanas já lá vão.
 
Depois de 2 semanas de trabalho voltei ao "estaleiro"! Tive consulta de rotina com o médico de família, e apesar da obstetra ter dito que não havia motivos para eu estar de baixa, o médico quase me obrigou a ficar em casa. Ainda tentei rispostar, mas tive que dar o braço a torcer.
 
Anemia e tensão alta... e cansaço elevado. O médico já me conhece e apesar de eu tentar mostrar-me mais forte de que sou, achou que eu não estava em condições de ir trabalhar diariamente.
 
Reforçou-me a dose de ferro e receitou-me um suplemento vitamínico.
 
Da minha parte tenho tentado descansar mais e alimentar-me melhor, mas sobretudo ao jantar comer tem sido um suplício... por mais que invente na cozinha, que tente diversificar, nada me apetece.
 
Continuo a sentir-me mais cansada do que seria suposto (pelo menos assim me parece), de vez em quando sinto nauseas e tonturas. De resto parece estar tudo bem... o bebé é muito mexido, e é frequente acordar de noite por causa das suas movimentações.
 
Ainda me faltam percorrer mais 13 semanas, o que até já não é muito. Mas já começo a sentir aquela ansiedade de conhecer este meu filho e de saber como nos vamos adaptar à nova rotina familiar.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Desejo

Desejo...

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
 
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.
 
Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
 
Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.
 
Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
 
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
 
Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
 
Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
 
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.
 
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
 
Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
 
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar ".
 
Vitor Hugo
 
Li este poema no Facebook e não resisti em partilhar. Por estas descobertas é que é bom uma pessoa se perder entre páginas, devaneiar e saborear as palavras!

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Primeiras palavras do dia

Dom pimpolho como sempre acaba a noite na nossa cama.
Esta manhã quando acordou e antes de qualquer outra coisa, pergunta-me:

- mamã, o bebé já saiu da barriga???

Isso é que é ansiedade!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Depois da ausência, o regresso

Mais de um mês sem publicar no blog... porquê? Porque muitas das vezes não sei o que hei-de escrever, não ganho vontade de o fazer ou simplesmente não tenho tempo de o fazer!

Mas por aqui ando...

Estive de baixa durante um mês... a tentar respeitar mais o ritmo do corpo para ver se as dores amenizavam um pouco. Sinto-me melhor e retomei o trabalho esta semana... vamos a ver quanto tempo resisto. As queixas são sempre as mesmas, muitas horas fora de casa e pouco tempo para me dedicar ao que verdadeiramente interessa.

Apetece dizer é a vida. Mas mesmo sabendo disso não consigo deixar de sentir revolta, por esta sociedade nos consumir e não deixar espaço para a vida familiar, para o lazer, para as relações humanas.

Pela terceira vez requeri a Jornada Contínua... pela terceira vez foi-me negada, e continuo a ter dificuldade em aceitar o tratamento diferenciado que é dado aos funcionários. Uns têm direito à dita jornada contínua, outros não! Supostamente não reúno os critérios de excepcionalidade... mas continuo sem saber quais são. Ou no fundo até sei...

A gravidez vai andando. O bebé está bem e já cá cantam 24 semanas, 10 kgs extra e uma barriga cada vez maior.

Para quem ainda não sabe vem aí outro rapazinho! Fiquei muito contente, porque apesar do sexo me ser indiferente, tinha preferência por outro rapaz. 99% das pessoas que me conhecem falharam nas previsões. Todos diziam é uma menina, e eu sempre dizia não é não. Até que a ecografia o comprovou.

Aos poucos vamos preparando a chegada do novo membro da família. Comprar tudo, ou quase tudo de novo... já que não estávamos a contar com mais filhos. Nem sei bem o que é preciso... quando Dom Pimpolho chegou não me preocupei muito com quantidades de roupa e outros afins, porque tinha tudo às montanhas... é bem mais difícil de organizar um enxoval quando se começa do zero. Uma coisa é certa não vou exagerar, e vou comprando consoante as necessidades. 

De resto a vida segue o seu ritmo habitual... e cada vez mais estou ansiosa pela chegada deste menino e sobretudo por saber qual será o impacto na nossa vida familiar. 

sábado, 4 de outubro de 2014

A moda dos desafios!

No facebook a moda dos desafios pegou! Quem não participa é penalizado com a oferta de um jantar! Pelo menos os desafios têm a vantagem de contribuir para o sucesso da restauração... isto se a malta toda não se limitar a seguir o "carreirinho"!

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Madrugar

Um destes dias pensei: é agora, é agora que a coisa vai mudar!
Falsas e vãs esperanças... geradas pelo facto de Dom Pimpolho ter acordado (um dia) às 7.30 da manhã!
Certamente enganou-se.
Pois nos dias seguintes voltou ao horário do costume: entre as 6.00 e as 6.10 da madrugada:

Vida de mãe em certos aspectos é dura!

Progredir, avançar, mudar...

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Bem visto!


"You see, if you're very, very stupid, how can you possibly realize that you're very, very stupid? You'd have to be relatively intelligent to realize how stupid you are." (John Cleese)

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Às vezes até sai bem!


Nunca fui grande amante da cozinha, sobretudo quando cozinhar é obrigação. Fui aprendendo sozinha e sou pouco amiga dos livros de culinária. Não tenho paciência para seguir aqueles passinhos todos e tenho sempre o azar de escolher receitas para as quais não tenho todos os ingredientes à mão. Pelo que em geral funciona o improviso...

Ontem fiz arroz de coelho! E pelos vistos sai-me muito bem! Porque o meu Homem e o meu homenzinho repetiram, não uma... mas sim duas vezes!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Lido por aí...

(imagem daqui!)

Rir junto é melhor que falar a mesma língua. 

Ou talvez o riso seja uma língua anterior que fomos perdendo à medida que o mundo foi deixando de ser nosso.
Mia Couto

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Coisas de Dom Pimpolho

- Mamã, depois deste bebé não quero que tenhas mais bebés!
- Então porquê?
- Porque com bebés na barriga não me podes dar colo!

(O rapaz anda mesmo com saudades do colinho, e eu também! Depois de Fevereiro vou ter que o compensar, se bem que dar colo a um matulão de 22 kgs, não é pera doce...)

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Já estou de volta...

Opá... as férias já acabaram... e pelos vistos não chegaram, porque continuo com a minha motivação em baixo! E este calor horrível em nada ajuda...

Mas bom os 15 dias que souberam a pouco foram bons! Houve muito descanso, serra, praia, rio e brincadeira. Este ano fizemos passeios apenas de 1 dia, não alugamos casa de praia, porque já tínhamos gasto o nosso budget na viagem à Bélgica... mas confesso que senti falta de uma semana longe de tudo o que é familiar...

Dom Pimpolho aproveitou bem... teve a companhia da mana crescida e agora não quer outra coisa senão "nadar", parece um peixe e não há frio que o afaste da água. Ele resolveu prolongar as férias e em vez de regressar hoje ao ATL foi passar uma semana a casa dos avós!

A minha barriga continua a crescer. Os enjoos felizmente acalmaram, e já consigo dominar os "apetites", mas as dores continuam... hei-de sobreviver.

Tivemos consulta na semana passada e parece que até agora está tudo bem! 14 semaninhas já cá cantam e temos bebé mexido. Só não sabemos ainda se é menino ou menina! Vamos ter que aguardar até às 22 semanas para o saber!

Dia 18 volto para saber os resultados do rastreio bioquímico. A enfermeira começou logo por dizer que com esta idade seria recomendável fazer a amniocentese, mas eu rebati logo e disse que só depois de avaliar os resultados das análises decido. Se o risco for baixo não a farei. Já de Dom Pimpolho optei por não fazer.

De resto a vida segue o seu rumo e tento que seja sempre com um sorriso no rosto! 


quinta-feira, 14 de agosto de 2014

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Inventam cada coisa!

Hoje ao navegar um pouco entre blogs descobri o Bondara SexFit
E claro fartei-me de rir. Mas se existe é porque existe um potencial mercado... o que nos dias que correm não me admira nada!

Para ler aqui!

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Da pacatez à confusão!

A vila onde vivo é pacata! Sossegada e tranquila... mas assim que chega Agosto é a grande confusão.
Chega uma multidão de "alfacinhas" e "avec's" que enchem as ruas, os cafés e os supermercados.
Este ano quase me esquecia que Agosto costuma ser assim... mas recordei quando à hora do almoço fui ao Lidl! Estava a ver que não saia de lá... é que os corredores são o lugar ideal para em família parar e conversar com outra família! E quem quer apenas aproveitar para fazer umas comprinhas rapidinho, avança passo a passo, entre muitos com licença, posso passar por favor!

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Fome e sono, e outros afins

Isto de estar grávida tem os seus quês! De acordo com o meu médico é uma gravidez de risco... deve ser risco de ficar gorda, pois sinto fome, ou melhor dizendo apetite a toda a hora!

Para além disso tenho sono, muito sono e tem sido um verdadeiro sacrifício estar 8 horas por dia a trabalhar. Às vezes preciso mesmo de me levantar da cadeira, pois sinto estar a um passo de fechar os olhos. O que num serviço de atendimento ao público não é nada conveniente!

Ao fim de semana sinto-me muito melhor (já antes da gravidez sentia! :))... respeito o ritmo do meu corpo e à tarde durmo uma longa sesta na companhia do meu filhote!

As dores iniciais já abrandaram um bocadinho, mas as pernas e os pés continuam a inchar de forma alucinante! 

Espero ansiosamente pelas férias de Verão, e também pela primeira consulta na maternidade para saber se continua tudo a correr bem.

Engraçado que mesmo o médico tendo dado indicação de gravidez de risco... tenho ainda que aguardar até dia 28 para a primeira consulta com a obstetra, altura em que já estarei de quase 13 semanas. Mas... uma coisa é certa não vou stressar. Vou cuidar-me e acreditar que tudo está a correr bem e assim vai continuar! 

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Se tudo correr bem...

... em Março de 2015 em casa seremos quatro!

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Make the ordinary come alive

Quando a leitura nos faz parar...

Sempre gostei de ler, e sempre tive o hábito de registar citações e excertos dos livros, para reflectir ou simplesmente para mais tarde recordar.

Ler é viver! E viver é aprender. Hoje foi o excerto abaixo que me fez parar...

"For the first time in my life, I feel that things after all, might change for the better. I have been a prisoner for too long, a prisoner of my own self doubt, a prisoner of a loveless childhood, and a life without experience and without joy. Now I feel an absolute certainty that my life is about to change and become so different from what it has been up until now. It is so simple. It has always been so simple. It is a matter of choice, a matter of understanding that one’s freedom to choose is limited only by courage and imagination. I have enough courage to choose, I hope; enough imagination to understand that life may have more possibilities than I can tell. So I have that freedom. I’ve always had that freedom, but it has taken until tonight to realize it. (…)"

Paul Torday in The irresisteble inheritance of wilberforce

sexta-feira, 27 de junho de 2014

O esforço... compensa!

Fiz na semana passada exame a tópicos de informática. Quando vi a disciplina no currículo pensei: ah, isto faz-se com uma perna às costas. Mas, quando chegou a hora da verdade recuei... um verdadeiro quebra cabeças: HTML, fórmulas, mantissas, números binários, bus de dados e de endereços, consultas em excel...

Não desisti, fiz mais de uma centena de testes. Até que tudo compreendi. Dia 19 foi o dia do veredicto final!

Hoje saíram os resultados!

E eu não podia estar mais feliz, porque o esforço compensou. Quebra cabeças-resolvido!

Resultado final: 16,4 em 20!

Iupi...

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Constatação do dia

8 horas no trabalho demoram uma eternidade a passar.
8 horas em casa passam a voar.

Bem precisava que hoje as horas se multiplicassem, para conseguir estudar tudo o que tenho para estudar!!!

sexta-feira, 20 de junho de 2014

As noites

rara é a vez em que Dom Pimpolho dorme a noite inteira na sua cama!
Todos os dias lhe dizemos que deve ficar na sua própria cama... mas o rapaz argumenta que quer companhia. E não vale a pena dizer que tem a companhia de 1001 peluches... pois ele bem sabe que não é a mesma coisa!

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Ainda a TDAH


Sei que na internet se encontra informação para todos os gostos. Argumentos a favor e argumentos contra. Mas continuo com a minha opinião de que a chamada hiperatividade pode ser controlada (em muitos casos) sem necessariamente recorrer a medicação!
Medicação que é tudo menos inofensiva! Podem ler aqui!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Nos trilhos da infância e da juventude.

Quarta-feira é dia de visitar os meus pais. A casa da minha infância, juventude e adolescência. Ali no meio de campos e pinhais, rochedos enormes e penhascos aguçados, a ribeira e a cachoeira, onde o tempo corria ao ritmo de brincadeiras, apenas com interrupção para almoço e jantar, tenho a certeza que fui feliz.
 
Hoje revivi um pouco desses tempos, a última parte do trajecto até casa dos meus pais fui a pé. Conhecia todos os caminhos e trilhos. Aparentemente continuo a conhecer. A certa altura o mato simplesmente varreu o trilho, e não fossem as minhas vivas memórias, certamente andaria perdida por entre as giestas que emparte do percurso faziam ponte sobre mim.
 
Esta caminhada foi revigorante. Foi bom parar um pouco e deixar simplesmente o tempo fluir, esquecendo toda e qualquer preocupação por instantes.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Última etapa...

Estou desgastada, cansada... com umas olheiras que tomam conta do meu rosto! Felizmente, anima-me ver o fim desta primeira etapa: 11 de Julho!
 
A última etapa do primeiro ano da licenciatura está aí: começo, oficialmente, hoje a "marrar" para as provas presenciais! Há só uma disciplina que me causa certa apreensão: tópicos de informática. Tópicos... que têm muito que dizer. Quem diria que estes tópicos eram tão precisos quanto saber calcular uma matissa, saber linguagem HTML, fórmulas de exell ou construir bases de dados no acess ou ainda conhecer de cor uma infinidade de combinações de teclas de atalho...
 
Espero conseguir nota positiva em todas as disciplinas. E é para atingir esse objetivo que trabalho. Não me agradaria nada deixar disciplinas para trás...
 
Como não me agrada ter notas baixas. Maldita ambição... fui assim desde os tempos de primária, depois a secundária em que chorava sempre que tinha notas abaixo de 70%. Agora já não choro, também não fico contente... mas chamo-me à terra. Obrigo-me a ver a realidade e recordo-me a mim mesma que trabalho uma semana a fio, sou mãe, mulher, companheira, filha, irmã... e para minha sanidade preciso de manter o equilíbrio entre as várias facetas da minha vida. Sim, decidi fazer o curso. Sim, quero aprender mais, mas não posso ambicionar sempre notas altas. Se acabar uma disciplina com 12 ou 13, já deveria ficar feliz. Excercío bem difícil, para quem toda a vida se habituou a notas altas...
 
Dia 17 de Junho, o primeiro exame... dia 11 de Julho o último. E depois 2 meses e meio sem pesquisas, leituras obrigatórias, relfexões, atividades formativas ou é-folios. De certeza vou aproveitar todo o tempo livre para ler... ler por prazer!
 
Pelo menos uma dúzia de livros estão à espera de mim!

sexta-feira, 30 de maio de 2014

TDAH

Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade - um rótulo para cada vez mais crianças. E conheço alguns casos bem próximos. Também tenho pensado muitas vezes sobre o que é esta doença, observado bem os casos que conheço e muitas vezes chego à conclusão que o problema em si não reside na criança mas sim no que a rodeia.

Um dos colegas do meu filho é medicado há mais de um ano por causa desta dita TDAH. Sempre achei que ele não tinha problema nenhum, e que a agitação dele apenas se devia ao meio familiar em que está inserido... mas claro está a mãe não iria por exemplo chegar ao médico e dizer que se separou do pai do miúdo ainda ele não tinha um ano (até aqui No problem, se as pessoas não se dão, separam-se) e que no espaço de um ano pelo menos 3 namorados teve, que pernoitavam lá em casa e a que o miúdo chamava de "tio"..., gritaria à janela, insultos em plena rua, e etc. Isto sim, destabiliza qualquer um, e muito mais uma criança pequena.

Hoje li esta notícia que comprova que afinal os meus raciocínios não estão muito longe da realidade... mas claro para ter um miúdo calmo e sossegado é mais fácil dar medicação, do que educação!

Todos os dias a mesma história...

- Mãe, eu hoje não quero ir à escola!

Se ele imaginasse que ainda lhe faltam no mínimo 15 anos, creio que fazia as malas na hora!

Tenho que levar esta questão na descontracção e não dar demasiada relevância. Mas custa-me muito deixar diariamente o meu filhote com cara tristonha na escola. Já falei com a professora que me diz que ele anda bem, sobretudo quando faz coisas de que gosta. Também já falei com Dom Pimpolho para tentar compreender se há alguma situação em particular que provoca esta rejeição à escola... mas tirando as queixas que faz relacionadas com o barulho, parece estar tudo bem!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Sucesso

Porque o que mais importa na vida é a nossa relação com os outros e com o que nos rodeia!

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Coisas de Dom Pimpolho... em dia de eleições

Ontem fomos votar! E levamos Dom Pimpolho connosco.
Chegados à mesa de voto fui a primeira a receber o Boletim e o miúdo acompanhou-me sempre muito atento.
Dobrei o boletim em 4 e meti o na urna.
Foi a vez do pai e Dom Pimpolho também o quis acompanhar.
De repente ouve-se do outro lado do placard:
- a mãe fez a cruz noutro quadrado!

Desatou-se toda a gente a rir... talvez da próxima seja melhor não o levar! Senão lá se vai o voto secreto!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

O que deve saber uma criança de 4 anos...

Vivo com a sensação de não me dedicar tempo suficiente ao meu filho, revoltada por no fim do dia de trabalho ter que chegar a casa e lançar-me para a cozinha. Enquanto corto, pico e ralo, vou respondendo às questões e olhando para as brincadeiras de Dom Pimpolho... uma atenção dividida entre tarefas. Jantar pronto e vamos todos para a mesa... repito 100 vezes come, enche a colher... entre o jantar e a hora de deitar medeiam cerca de 40 minutos... 40 minutos em que largo tudo para apenas me dedicar ao rapaz. 40 minutos que sabem a muito pouco e que me deixam com a sensação de não ter cumprido o meu dever.
De nada vale atormentar-me diariamente com esta questão. As coisas são como são, preciso de trabalhar. Trabalhava 35 horas semanais e obrigaram-me a trabalhar 40, pedi jornada contínua e foi me recusada, e cada vez mais vejo os meus direitos enquanto trabalhador a encolher, a mirrar... e o espaço familiar acompanha essa tendência.
Queria estar presente, presente no crescimento e nas descobertas do meu filho. Ajudá-lo a explorar, a descobrir, a crescer e a aprender.
Sou obrigada a delegar essas tarefas no Jardim de Infância, onde imperam as metas de aprendizagem e a verdadeira infância é relegada para segundo plano, cruelmente encurtada.
Queria que o meu filho tivesse todo o tempo do mundo para ser simplesmente criança e fazer tudo o que uma criança tem direito de fazer...

Nota: sobre isto vale a pena ler "o que deve saber uma criança de 4 anos"

domingo, 18 de maio de 2014

A trabalhar como uma louca

Desde Março para cá que não tenho tido tempo para nada... a não se para trabalhar e estudar!
Falta pouco, mas o pouco alonga-se no tempo.
O último exame do ano, se tudo correr bem, será a 11 de Julho... nessa data e até recomeço das aulas em finais de Setembro, esqueço tudo o que tem a haver com o curso!

sábado, 17 de maio de 2014

I'm reading a book...


Don't you ever interrupt me, when I'm reading a book!

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Coisas que me deixam estupefacta...

Ontem esteve uma turma na Biblioteca a fazer um trabalho na área da saúde. Os alunos andam todos na casa dos vinte e poucos, e o curso relaciona-se com cuidados básicos de saúde.

Duas jovens estavam mesmo à minha frente, olhei para o monitor do seu computador e fiquei estupefacta quando li o título do trabalho: "A sida e outras toxicodependências". Como é possível nos dias que correm misturar assim dois conceitos diferentes???

Pior do que tudo, o professor veio ver o trabalho, e não teceu nenhum comentário sobre o título e ainda disse às jovens que estava bom!!!

terça-feira, 13 de maio de 2014

Coisas de Dom Pimpolho

Ontem foi dia de comprar sapatos para Dom Pimpolho.
Ao pagar na brincadeira, disse-lhe:
- Agora temos que ir tirar do teu mealheiro o dinheiro para os sapatos...
O Senhor da loja ouviu e disse:
- O do mealheiro é para os gelados.
Dom Pimpolho, com uma grande risada, respondeu:
- Mas os gelados não cabem no mealheiro. O mealheiro é só para as notas e as moedas!
:)

sexta-feira, 9 de maio de 2014

A minha nova "dor de cabeça"

Quando no guia do curso vi a disciplina Tópicos de Informática, pensei de imediato "isto vai ser canja"... pois não é que me enganei redondamente, e nenhum dos dois cursos de formação em informática, muito menos a carta europeia de condução em informática me têm válido de salvação.
 
Primeiro andei às voltas com a iniciação à internet e as tecnologias da informação e comunicação, agora juntou-se lhe folhas de cálculo... e o cálculo está-me a deixar a cabeça em água.
 
Hoje, depois de 10 tentativas, lá conseguiu chegar aos 50% num teste formativo... mas não faço ideia como me irei safar desta num exame presencial.
 
Apesar de todas as minhas auto exigências... acho que já darei um pulo no ar se passar com nota mínima...
 
Deixo aqui um exemplozinho do que têm sido os meus serões:
 
1
Pretendemos obter uma tabela no Excel para a seguinte fórmula: (x+2)(10-5x-2y). Considerando que os valores de x estão na coluna I, e os valores de y na linha 7, escreva uma fórmula do Excel para a célula Q17, válida para toda a tabela (utilize $ se necessário).

 
 
No MS Excel, pretende-se construir um relatório dinâmico, com base numa tabela com dados sobre arrendamento de casas de habitação numa cidade, sendo esta composta pelas seguintes colunas: morada; assoalhadas; custo de aluguer; zona.
Organize o relatório dinâmico, de modo a obter: custo de aluguer médio por número de assoalhadas.
Selecione uma opção de resposta:
Correto

Escreva a fórmula do Excel que corresponde à seguinte expressão:
  • \frac{x+1}{x(x-1)} se x>0
  • \frac{x+1}{x-1} caso contrário
Considere que o valor de x está na célula W11.
 
 

Amanhã é dia de "piquenicar"



Algures por aqui... na Mata da Margaraça... paisagem fresca e verdejante!

quinta-feira, 8 de maio de 2014

As férias no meu país Natal

Foi apenas uma semana, e mesmo assim consegui sentir falta de Portugal. A Bélgica para mim é apenas um destino de férias, e isto porque tenho lá família... caso contrário aproveitaria a oportunidade para ir conhecer novas "paragens"!


Não obstante, foi bom e ao mesmo tempo estranho voltar depois de 8 anos... constatar que muito mudou na minha aldeia Natal, moradias que foram substituídas por prédios, a casa dos avós que já deixou de ser dos avós, porque uns já faleceram e a avó que me resta vive no lar...

A família cresceu... em 8 anos nasceram 9 crianças! 1 primo, e 8 primos em segundo grau. Por lá penso que não se faz sentir a crise da natalidade, e por aquilo que me apercebi a crise económica também não... ou pelo menos pouco.



Foi uma correria... visitas e mais visitas e claro está, com uma criança, não podiam ter faltado as idas aos parques infantis! Que diga-se de passagem têm muito mais qualidade de que os que por cá temos. para além de terem um aspecto muito mais natural (relvados e areia é o que protege as crianças), têm equipamentos muito mais variados. Dom Pimpolho inclusive já começou a perguntar se Sábado podemos ir ao parque onde fomos na Quarta-feira da semana passada! :) ... como se ficasse a meia dúzia de passos daqui...

Férias são férias, e como sempre já sinto saudades... no Verão há mais!

domingo, 4 de maio de 2014

Home sweet, home...

Como é bom voltar...
só não é bom amanhã já ter que trabalhar!

quinta-feira, 24 de abril de 2014

E as malas???

Como sempre fazer as malas é tarefa que deixo para a última hora. Não sou como a minha mãe, que costuma ter as malas prontas 2 a 3 semanas antes da data de viajar.

Amanhã há-de ser o caos e tenho a certeza que mal meta o pé no avião vou recordar de tudo quanto esqueci! É sempre assim...

Voltar às raízes

Amanhã começa mais uma semana de férias para mim! Férias, é como quem diz, pois vamos viajar até ao meu país de origem! Coisa que já não fazia há 8 anos... o que significará sem dúvida uma grande maratona de visitas à família!

Engraçado, que embora a Bélgica seja o meu país Natal pouca ou nenhuma ligação lhe sinto. É só mesmo família... e apesar de ter uma catrafada de tios e primos o tempo que despendemos juntos tem sido tão pouco, que em geral quando falo de família falo nos meus pais, irmã e sobrinhas, esses que estão por perto e com quem tenho um contacto regular e fundamental para a harmonia da minha vida.

Fui desenraizada há demasiado tempo... para poder dizer efectivamente que vou voltar às raízes.

De qualquer forma é sempre bom regressar aos lugares onde passei os meus primeiros 8 anos de vida... e que de uma forma ou outra fazem parte de mim.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Espero que ninguém se lembre de cantar uma canção de embalar!

Ou a minha memória anda a fraquejar, ou esta foi mesmo a pior noite desde que Dom Pimpolho nasceu! Se juntar todos os bocadinhos que dormi esta noite talvez contabilize 2 horas e meia!

Trabalhar assim não é bom e só espero que ninguém se lembre de cantar uma canção de embalar....

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Socorro... preciso de férias!!!

As minhas energias estão cada vez mais em baixo, o ritmo este ano tem sido alucinante a todos os níveis e neste momento sinto que já não estou a 100% em nada: nem no trabalho, nem nos estudos, nem na família... preciso de férias urgentemente e felizmente aproximam-se a passos largos!

Segunda e terça vou ficar em casa e no final do mês pela primeira vez em muitos anos vamos viajar. É certo que é para um destino que já nos é conhecido, mas mesmo assim mudar de ares e de ambientes vai ser revigorante. É bem preciso porque a maratona continua logo a seguir com a final distrital do concurso de leitura e a comemoração dos 500 anos do Foral!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Vivemos numa sociedade excessivamente medicalizada

É frequente ver os mais velhos tomar 10 ou mais medicamentos, mas também já há jovens a usar medicamentos para ansiedade, para dormir, para a concentração, etc.  «Vivemos numa sociedade excessivamente medicalizadas e toda a comunidade de saúde – médicos e não só – devia tentar perceber o que é ou não é essencial tratar», refere Luiz Santiago. «Tomar muitos medicamentos não é forçosamente, ter mais saúde».

In: Diário de Coimbra nº 28421 (04.04.2014)

Eis uma temática sobre a qual vale a pena refletir! É preciso saber como actuam os medicamentos, os efeitos adversos que possam causar e ainda qual o efeito da toma de diversos medicamentos em simultâneo (área ainda pouco estudada.)

Coisas de Dom Pimpolho

No fim de semana a avó ofereceu a Dom Pimpolho um conjunto de cuecas novas!
Todo contente vem ele para mas mostrar e diz:
- Estas cuecas são para meninos de 3 ou 5 anos. Os meninos com 4 anos não as podem usar!

(nota: na embalagem vinha a indicação 3-5 anos!)

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Da próxima fico mesmo de pé atrás...

Sou pessoa que nunca consegue ficar indiferente à mendicidade, embora tenha aprendido com o tempo e a idade que não dá para acudir a todos, nem o meu bolso o permite.

É certo que já não enfio a mão no porta-moedas de cada vez que alguém estica a mão. Nem sempre quem o faz realmente precisa ou dá o devido valor aos trocos dados.

Hoje cruzei-me no meu trabalho com uma família de romenos. Daqueles que andam pelas ruas a vender pensos rápidos com um olhar triste e cabisbaixo... pois deixaram-me ainda mais de pé atrás nesta coisa da mendicidade... não é que cada um deles tem um telemóvel topo de gama??? Ah pois é...

Não deixarei de contribuir para causas sociais. Mas têm que ser fiáveis e honestas. Tenho contribuído de várias formas tal como donativo de parte do IRS, contributos para o Banco Alimentar, entrega de roupas que já não usamos à conferências da Igreja, e alguns contributos para instituições locais de solidariedade social. Mas meter a mão na carteira para entregar dinheiro a qualquer um que estica a mão... será cada vez menos frequente.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Terrivelmente cansada...

Terrivelmente cansada, é assim que me sinto!
Correr, correr, correr, sem sair do lugar e sem nunca ter tudo no lugar.

Mas o que me anda a cansar ainda mais são as pessoas, mais em específico as pessoas com quem trabalho diariamente. Há 14 anos que trabalho no mesmo local, e de ano para ano parece que o ambiente interpessoal se degrada mais...

Cada um trabalho no seu campo. Cada um se preocupa apenas com as suas tarefas. Vive-se um ambiente de intriga e mesquinhice, de falsidade.

Tento deixar que tudo isto me passe ao lado. Tento não me envolver, escutar daqui e dali, anuindo aqui e acolá... detesto conflitos e disputas! Entristece me este ambiente em que em vez de trabalharmos em equipa, com espírito de cooperação e entreajuda... estejamos num ambiente que chega a cansar.

Afinal de contas e mesmo que não nos agrade... o trabalho é quase a nossa segunda casa! E seria tão melhor se houvesse harmonia!

segunda-feira, 31 de março de 2014

Feminilidade...

Óleo s/ tela: Figurative women painting, por © Lauri Blank

Hoje apenas a reprodução de um quadro: 
porque as imagens também falam!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Diagnosticado, medicado e com alta!

Depois de muitas horas de espera o diagnóstico: níveis de oxigénio no sangue muito baixos e uma infecção pulmonar.

Depois de um grande Cocktail de antibióticos,  e já perto da meia noite o meu pai teve alta.

Esta manhã já falei com ele ao telefone. E parecia outro! Grande alívio.

quarta-feira, 26 de março de 2014

À espera de notícias

Esta espera é inquietante.
Há 4 semanas que o meu pai anda adoentado.
Já foi medicado com antibiótico. Entrentanto também foi sujeito a uma biopsia.
Foi há quase duas semanas às urgências, pois depois da intervenção disseram lhe para o fazer caso tivesse febre acima dos 38º.
Novo antibiótico para uma pequena infecção na próstata.
Cada vez que vi o meu pai ao longo deste tempo o vi doente. Cansado, com problemas na respiração. Fui recomendando que deveria voltar ao médico, sem sucesso.
Desconfia dos médicos.
Há uns anos atrás esteve internado por causa de uma embolia pulmonar.
Por causa de uma perfuração no intestino e consequente septicemia há 11 anos atrás durante 5 semanas teve preso por um ténue fio à vida.
Por 2 vezes a medicina o salvou.
Hoje tornei a falar com ele ao telefone. O meu alarme souo face àquela voz cansada e entecortada.
Insisti. Relembrei. Tentei fazer ver...
De seguida telefonei à minha irmã. Para que ela me ajudasse a convencer o meu pai que tinha que procurar ajuda médica.
No início da tarde foram para o centro de sáude.
De lá foram encaminhados para as urgências em Coimbra.
Passado 5 minutos foi atendido.
Análises
Medicação
Raio-X.
Infecção pulmonar, mas ainda sem mais detalhes.
Impaciente aguardo mais notícias.

domingo, 23 de março de 2014

Domingo, Domingão

6.30 da manhã. O meu despertador humano deu sinal... não tornou a adormecer. O pai ainda o levou de volta para a cama. Mas contrariamente ao que seria desejável, o filho adormeceu o pai. E assim que deu conta que este tinha adormecido, escapou-se e voltou para ao pé da mãe. 
- Sossega.
- Está caladinho.
- Deixa-me dormir!
e até ameaças de que hoje não o deixaria jogar no computador. Nada surtiu efeito.
Às 7.40 dei-me por vencida. De mau humor abandonei o vale dos lençóis, rogando pragas ao pai...
Felizmente a nuvem negra dissipou-se e a manhã, entre bocejos, passou tranquilamente.
Finalmente, hora da sesta. Bem precisa, pois Dom Pimpolho já estava num estado de "insuportabilidade" extrema.
13:30 caminha.
Dormimos,
não 1,
nem 2,
nem 3,
mas 4 revigorantes e recompensadoras horas.
Depois da semana diabólica e agitada que tive, bem mereci!

sábado, 22 de março de 2014

Finalmente fim-de-semana...

Esta foi uma semana dos diabos! Foram 4 dias de feira do livro cá na terra, e embora seja recompensador ver os frutos do nosso empenho, é trabalhoso e cansativo.

Para além do normal horário de trabalho, juntaram-se às 8 horas habituais mais 3... foi uma semana de muita correria e pouco descanso.

Claro está não me contive e lá vieram mais 8 livros e um jogo para casa. 

Ontem foi o último dia, e como não podia deixar de ser celebramos "poesia"! Foi apresentado na feira o livro "Rio de 4 águas" e eu fui convidada a fazer a leitura em voz alta de alguns poemas! Como sempre nestas ocasiões as minhas pernas ficaram bambas e os braços trémulos... mas ainda assim foi um prazer participar neste hino à poesia!

quarta-feira, 12 de março de 2014

Tanta coisa para dizer

Não é que ande com a cabeça oca, mas ando com a cabeça a mil. A tentar não descurar nenhum aspecto da minha vida e a não falhar objectivos. O segundo semestre começou em força e ainda nem tive tempo de preparar e organizar todos os materiais, e já tenho actividades para entregar.

Visto daqui... o primeiro semestre parece soft!

No trabalho também não se para. Aproxima-se a passos largos a feira do livro... e como tal em vez de trabalhar as 8 horas diárias, terei de trabalhar 11 a 12... só de pensar nisso já me sinto exausta!

Tenho pensado com frequência no meu blog e de como me tenho andado a "desleixar" dele, mas nesta fase, mais de que nunca, há que estabelecer prioridades: família, trabalho e estudo! Por esta ordem... se depois disso sobra algum tempo posso dedicar-me ao blog, redes sociais e outros afins. Mas infelizmente o tempo não tem sobrado...

Mas afeiçoei-me a este cantinho! Um cantinho de registos, de acontecimentos, de pensamentos, e até de amizades, que fazem parte da minha vida e por isso teimosamente vou fazendo para o manter vivo!

Pouco é verdade... mas por aqui estou! E vou continuar!

terça-feira, 11 de março de 2014

Em modo Happy!

Eis que o primeiro semestre está definitivamente arrumado. E muito bem arrumado. Saiu hoje à última nota.
A média final foi 18! Iupiiii... valeu o esforço e a dedicação.

O segundo semestre começou ontem e por o que vi vai ser trabalhoso... e é por isso que é tão bom conhecer os resultados do primeiro. Pois dá ânimo para continuar a aplicar-me!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Deve ter sido gafe...



Na televisão, nos jornais e nas revistas não há dia que não se leia uma notícia que elogia o desempenho de Portugal para a saída da crise. É tudo maravilhas... isto se se esquecer que metade da população do país vive no limiar da pobreza, e que a maior parte das pessoas que ainda não vivem nesse limiar têm de contar os tostões, de cortar aqui e ali para conseguir chegar ao fim do mês!

Em 2011 começaram a dar tesouradas nos salários, nas pensões... este ano até cortaram nos grandiosos salários acima de 675 €. 

Todos os meses o valor líquido a receber baixa um bocadinho.

Mas este país é um sucesso! Um bom exemplo. Para quem?

Inicialmente ouvimos e lemos que os cortes seriam transitórios! Até à saída da crise. Deve ter sido uma gafe... pois eis que agora se tornam DEFINITIVOS.

Não podemos voltar aos níveis salariais anteriores à crise... como se estes fossem qualquer coisa de espectacular! Sim, para uma pequena percentagem da população são... mas não para a esmagadora maioria dos trabalhadores. Esses têm de saber viver com os seus 600 ou 700 € mensais, quando não menos.

Apetece desafiar esses "profetas" que proclamam todo este sucesso a experimentar viver durante alguns meses com estes fantásticos salários. No fim poderíamos voltar a conversar...

Mais leve...

Aos primeiros raios de sol, larguei finalmente os camisolões e as botas! O inverno ainda não chegou ao fim, mas eu já deixei a hibernação e estou pronta para desfrutar das caminhadas e brincadeiras ao ar livre.
Não me costumo queixar do tempo. E até sou pessoa que gosta de chuva. Mas este ano pareceu-me demais: foram dias, semanas, meses... um tempo sem fim de "enclausuramento"!
De repente sinto-me mais leve, mais animada... com vontade de inspirar o ar fresco matinal e deixar o meu rosto banhar-se nos primeiros raios de sol.

O fim-de-semana está quase aí, e eu só espero que o sol seja para ficar!

quarta-feira, 5 de março de 2014

Finalmente... sol!


Só é pena não se ter mostrado ontem à tarde... 
em que tinha tempo para dele desfrutar!
Espero é que agora por cá fique e que o fim-de-semana seja radioso!

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Dom Pimpolho faz poucas, mas boas... birras

Felizmente não é prato do dia, pois se assim fosse já andaria com os cabelos em pé. Mas quando Dom Pimpolho resolver fazer birra é de bradar aos céus. Elas são tão peculiares, que eu sinceramente não sei bem como reagir!
Por um lado porque há que respeitá-lo, tento manter-me séria, falar com ele calmamente, mas por outro as birras surgem por coisas tão caricatas que só dá vontade de rir.

Ora vamos lá então às duas birras mais recentes:

1- Camisola de gola alta verde para o Carnaval

Desde o início do mês que o rapaz anda empolgado por causa do desfile de Carnaval. Da escola veio o recado que seria necessária uma camisola de gola alta verde e uns collants castanhos. Passado uns dias veio o recado que uma mãe se tinha disponibilizado a arranjar camisolas para todos os meninos, mas como não eram de algodão (e o rapaz tem pele atópica) respondi que preferia comprar eu própria. Acontece que esta semana a professora me mostrou a dita camisola e afinal ainda tem 50% de algodão e é duas vezes mais quente de que aquela que eu comprei. Pedi-lhe então uma para Dom Pimpolho.
Nesse mesmo dia disse ao rapaz: - olha já aqui está a camisola verde!
Mas o que fui eu dizer.
Desata aos prantos, aos gritos e só dizia: - Eu não tenho camisola. Eu não quero essa camisola. A professora disse que eu não tenho camisola...
Isto claro só tem piada visto, mas esta pequena birra conseguiu durar meia hora!

2 - Ida aos correios com o avó

Ás quartas-feiras Dom Pimpolho passa o dia com os avós e adora ir fazer recados com o avó! Esta semana foram aos correios e o meu pai teve de estacionar um pouco longe. Iam os dois muito tranquilos a caminhar, quando sem nada o fazer prever, Dom Pimpolho estanca e diz ao avó - Já não gosto mais de ti! - não moveu mais os pés e ao que consta teve de ser literalmente arrastado até aos correios onde se atirou aos berros e gritos no chão. O meu pai coitado não sabia o que fazer, ainda por cima a estação estava cheia de gente a olhar para "o pobre rapazinho" ali a chorar como se tivesse sido espancado!!!

Um dia isto há-de-lhe passar, pelo menos é essa a minha esperança!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Impaciente...

Já fiz os exames todos do 1º semestre da Universidade e tenho aproveitado os serões para descansar e relaxar... 

Mas, e há sempre um mas... estou impaciente para saber as notas finais, para poder começar o segundo semestre com positivismo e ânimo!

2 notas já saíram. E os resultados foram os que eu esperava (Inglês: 17; Introdução às ciências da informação e documentação: 16).

Falta esperar por mais 3... e cheira-me que ainda terei que esperar muito.

Paciência precisa-se!

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Vidas que tocam (II)

Na minha rua vivia uma família numerosa. Uma família desestruturada. Era o que a sociedade apelida de família disfuncional. Uma mãe com uma catrefada de filhos, de vários pais, muitos gritos, polícia à porta com frequência e com acompanhamento da segurança social.

Ao que parece no passado a mãe já tinha entregue filhos a outras famílias e já fora ameaçada pela segurança social que lhe retirariam os 3 mais novos.

Nunca privei com esta família, mas as crianças eram presença constante no bairro. Corriam, brincavam como quaisquer outras crianças, e Dom Pimpolho gostava de estar com eles.

A mais nova, sempre que pressentia que andávamos a brincar por ali, aparecia como por magia. O meu filho emprestava lhe a bicicleta, e eu falava carinhosamente com a menina. Acho que ela gostava destes breves momentos.

Um dia destes soube que a mãe se pôs a andar. Desapareceu. E deixou os 3 menores na escola. Os técnicos da Segurança Social foram buscá-los.

Desde que soube da história é raro o dia em que não recorde estas 3 crianças. Onde estarão? Como se sentirão? Será que a mãe os foi buscar?

Que futuro lhes está reservado? Institucionalizados. Irão para adopção? E quem adopta crianças com 6, 9 e 10 anos? Três ao mesmo tempo?

Não é certamente caso único, mas toca-me particularmente porque conhecia estes miúdos…

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Vidas que tocam (I)

Fez parte da minha vida durante 7 anos por algum motivo. É certo que depois de colocar tudo na balança houve um lado que pesou muito mais, o que inevitavelmente conduziu à separação. 
Uma primeira.
9 meses depois o reencontro numa altura em que eu estava mais frágil do que nunca. A vida do meu pai estava por um fio. Felizmente conseguiu agarrá-lo.
Reatamos. Mais um ano de tentativas frustradas. Em vão. Ponto final definitivo.
Segui em frente.
Nos primeiros meses ódio e rancor era tudo o que havia. Lentamente uma amizade cordial ganhou forças.
cruzávamos-nos na rua, trocávamos meia dúzia de palavras. Via-o de tempos a tempos.
Tentou o suicídio.
Reequilibrou-se. Ou talvez não.
Há meio ano que o não vejo. Nada dele sei.
Questionei a irmã. Também não sabia do seu paradeiro.
Nunca mais o vi. Nada mais soube...
E preocupo-me. Porque o queria saber bem!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

De férias ou assim parece!

 
Ufa, ufa, ufa... já posso respirar de alívio! Fiz hoje o último exame do primeiro semestre na Universidade! Agora estou de "férias" até dia 10 de março!
 
São férias entre aspas porque o trabalho continua, tal como a vida doméstica. Mas saber que nas próximas semanas não preciso de estudar, pesquisar e fazer trabalhos e posso aproveitar todo o meu tempo livre para me dedicar à família e a mim mesma faz-me sentir tão bem, tão bem... que trago um sorriso estampado no rosto e sinto uma leveza que já não sentia há meses.
 
Esta tarde não trabalho, prometi a Dom Pimpolho ir buscá-lo às 15.30 e até lá vou aproveitar a companhia de um bom livro e do sol!
 
Nota: Ainda faltam sair as notas, mas estou confiante...

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Relato de uma hora de almoço apressada

Sair 10 minutos depois da hora do serviço. Caminhar em passo acelerado até casa! Apanhar roupa do estendal, esvaziar máquina de roupa, estender roupa no estendal, dobrar roupa e pelo meio engolir uma maça, um pastel de nata, um iogurte e uma chávena de café!

E eis-me de volta para mais 5 horas de estafa!

É ao que se resume esta vidinha!

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Coisas de Dom Pimpolho: posso casar?

Na véspera do dia dos Namorados Dom Pimpolho trouxe do ATL um coração para oferecer, o que fez despoletar a conversa sobre o tema. 

De repente diz o rapaz:
- Mãe, posso casar?
Eu respondo:
- Ainda és muito novo para casar!
E o pai diz:
- Para casar tens de ter uma namorada, e tu ainda não tens.
Do alto dos seus 3 anos e meio, Dom Pimpolho responde:
- Tenho, tenho.
E o pai:
- Então quem é a tua namorada?
- É a mana!* - responde ele prontamente!

Esta idade é de facto muito interessante. Aquela cabecinha não pára e diariamente nos surpreende! Claro, mais tarde estas conversas são motivo de risota...

(Para quem não sabe a mana não é minha filha. E fruto do primeiro casamento do pai!)

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Querido fim-de-semana

Aguardo ansiosa o fim-de-semana! Estou cansada, exausta e preciso de descansar.
Infelizmente ainda tenho que trabalhar amanhã de manhã, e acabo por ficar com um fim-de-semana reduzido. Embora tenha que aproveitar cada momento possível para estudar, garanto que ninguém nem nada me vai impedir de dormir a sesta com o meu filhote!

Felizmente já só falta um exame para acabar este semestre... pois sinto que estou quase, quase a chegar ao meu limite!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Lesionada

De tanto fazer apontamentos acho que consegui ressuscitar a minha tendinite no braço direito. Só espero amanhã conseguir pegar na caneta para fazer o exame.
 
Hoje à noite aplicar frio e calor! E por agora largar a caneta e remeter-me apenas à leitura dos apontamentos!

Neurónios fundidos

O estudo tem sido muito, a um ritmo alucinante... poderia fazer melhor se tivesse mais tempo para me dedicar à vida académica.
 
Sinto-me como se tivesse corrido várias maratonas seguidas e os neurónios devem estar prestes a fundir. Anima-me o facto de só faltarem mais 2 exames do 1º semestre... depois é aguardar pelos resultados e torcer para que sejam todos positivos, para a partir de 10 de Março me dedicar ao 2º semestre!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Estudo, estudo...

Faltam 4 horas para o exame... sinto-me calma e tranquila!
Só não sei é se sei alguma coisa.
De momento na minha cabeça atropelam-se palavras soltas: bibliotecas, conhecimento, informação, dados, digital, utilizadores, biblioteconomia, documentação, aldeia global, tecnologias... espero ser capaz de com esta confusão de termos elaborar respostas com pés e cabeça ao que for pedido!
 
Wish me luck!!!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Coisas de Dom Pimpolho

Há já vários dias que o meu filhote apregoava por aí que fala português e chinês. Nunca o contrariei, porque valorizo o papel da imaginação no desenvolvimento da criança... fico a pensar se não era melhor ter falado sobre o assunto com ele...
 
Primeiro foram as primas que prontamente o informaram - tu não falas chinês! - o que gerou grande indignação da parte de Dom Pimpolho e uma maior insistência na afirmação - Eu falo português e chinês!
 
Esta manhã ao pequeno-almoço, de repente diz-me:
 
- Eu já não falo português e chinês. Eu falo alto...
- Então, porquê filho? - perguntei eu.
- Para pararem de gozar...
 
Fiquei perplexa... com 3 anos e meio já se aperceber destas questões...

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Ainda por aqui ando...

Ainda por aqui ando, mas sem vontade e inspiração para escrever.
A vida vai rolando como habitualmente sem nada digno de reportar... até vão surgindo algumas cenas próprias dos 3 anos e meio de Dom Pimpolho, mas quase não tenho vagar de ligar o computador!
O trabalho é mais de que muito e o tempo livre cada vez mais escasso. O pouco que tenho dedico-o ao meu filhote. De resto quando o cachopo dorme, se não durmo também, estudo... quarta-feira espera-me mais um exame... a ver vamos como corre.
E ainda não está esse feito e já tenho que me preparar para os dois seguintes. Mas que ideia a minha meter-me em estudos nesta altura do campeonato!!! Felizmente até gosto de estudar e os resultados positivos impelem-me a prosseguir... mas admito que há dias em que me apetece desistir. Por isso mesmo a máxima por cá é: um dia de cada vez!
Passo a passo... o primeiro semestre está quase terminado!

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Novo visual, novo astral

No Sábado foi dia de levar Dom Pimpolho ao cabeleireiro! Portou-se lindamente e já está com o cabelinho curtinho (pelo menos durante um mês)!

Resolvi arriscar a paciência do cachopo e ficamos para cortar o meu cabelo também! Aguentou quietinho até eu estar com a cabeça lavada e a capa colocada... depois abriu a porta do salão e saiu disparado... não tive outra opção senão ir atrás dele naquela figura ridícula. Corri atrás dele, enquanto ele se ria às gargalhadas, não sei se da minha figura, ou por pura malandrice.

Regressamos e a porta foi trancada!

- Como vai querer cortar? - A pergunta da praxe, a que nunca consigo responder muito bem, optando geralmente por dizer corte apenas as pontas.Grandes mudanças assustam-me.

Resolvi arriscar... e deixei que a D. Graça usasse a sua tesourinha à vontade. Metade do comprimento foi ao ar e voltei ao escadeado.

Resultado: gostei! Sinto-me mais bonita e mais jovem, o que contribuiu de imediato para melhorar o meu astral.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

1 de 5!

Ontem fui fazer o primeiro de 5 exames na Universidade.
Correu bem, mas também há que frisar que foi o exame da disciplina mais fácil: Inglês!

Agora é continuar a estudar, porque até dia 19 vou andar numa roda viva!
Só espero que os resultados se aproximem das notas que tive até agora em avaliação não presencial: fazendo as contas assim de cabeça a média geral anda pelos 85%!

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Lições de vida ou nunca digas nunca!

Já não é a primeira vez que por aqui escrevo que só devemos falar de determinadas coisas quando por elas passamos, sobretudo quando estas à maternidade dizem respeito.

Quantas vezes antes de ser mãe falei com outras mães sobre a transição do bebé para o seu próprio quarto (por volta dos 6 meses) e sobre eles dormirem na sua própria caminha!

Pois… deveria engolir tudo o que disse!

O meu bebé (agora um pequeno homenzinho) dormiu no quarto dos pais até aos 26 meses! Salvo algumas excepções em que adormeci com ele à mama, ele sempre preferiu dormir na sua própria cama… até há algum tempo atrás!

Dom Pimpolho aceitou muito bem a transição e sente-se orgulhoso por ter o seu próprio quarto. Nunca refila na hora de deitar mas, de há cerca de 2 meses para cá, a meio da noite levanta-se e quase como um autómato vem para a cama dos pais. Das primeiras vezes eu ainda me dava ao trabalho de o recambiar, mas a preguiça e o cansaço têm me vencido… e ultimamente limito-me a deixá-lo encaixar-se entre mim e o pai. E que bem que sabe…

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Eu e as 40 horas de trabalho!

Ainda não estou conformada... a partir do dia 27 por cá começamos a trabalhar 40 horas semanais! Motivação: pouca ou nenhuma. Afinal existirá alguém que gosta de trabalhar mais horas por menos dinheiro?
Acho que nem um workaholic!

Estou a procurar meios de contornar esta situação e se a lei o permite, porquê não o fazer?

-1ª opção - redução de 2 horas de trabalho diárias ou um dia por semana e consequente redução salarial. Está fora de questão, pois infelizmente o meu ordenado é baixo e não me posso dar ao luxo de prescindir de uma fatia considerável. 

- 2ª opção - requerer a jornada contínua! O que significa trabalhar 7 horas seguidas, sem deixar o local de trabalho com direito a 30 minutos para almoço, mas que conta como tempo de trabalho.

O requerimento já está feito e agora é apenas aguardar aprovação ou não do chefe!

Torçam por mim... o deferimento seria ouro sobre azul!

sábado, 18 de janeiro de 2014

O interesse das crianças!

O interesse das crianças deveria estar em primeiro lugar! E não está... em geral as opiniões estão toldadas de preconceito e nada mais vêem pela frente. Por isso tinha que partilhar este texto, para que ele chegue mais longe, para que ele abra novos horizontes e reflexões.
Porque afinal o que está em causa é o interesse das crianças!


Entendamo-nos: as crianças em causa na lei da coadoção nunca vão ter "um pai e uma mãe". Têm duas mães ou dois pais e tê-los-ão sempre - quer a lei lhos reconheça ou não. Não está em causa decidir com quem essas crianças vivem, quem vai educá-las e amá-las e quem elas vão amar. Essa decisão não nos pertence. A nossa opção é entre aceitar e proteger essas famílias ou rejeitá--las e persegui-las. Entre dizer a essas crianças "a tua família é tão boa como as outras" ou "a tua família não presta". Referende-se então isso: "Tem tanto horror aos homossexuais que deseja que a sociedade portuguesa decida em referendo discriminar os filhos deles ou acha que a lei portuguesa deve deixar, o mais depressa possível, de fingir que essas crianças não existem e o Parlamento lhes deve garantir os direitos que lhes faltam?"

Podem ainda ler mais aqui!
ou aqui!

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Pecado da gula

Hoje, logo pela manhã ingeri uma bomba calórica 
semelhante à da fotografia!
Soube-me mesmo bem!
Mas confesso que ando há meses a fugir da balança 
com medo de me assustar!
Um dia destes e antes que seja tarde tenho de a enfrentar!

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Remexendo no baú...

Fruto Maduro

Oscilam em ramos verdes
Frutos maduros.
Queres colhê-los
Ficas horas parado
De olhos erguidos.
neles...
reflexo de folhas verdes
E de azul do céu.

Teus olhos
lagos atormentados.

Colhe os frutos
Deixa o medo
Trepa a árvore
E colhe,
Colhe
Um fruto maduro.

Prova, saboreia
Sente a vida a jorrar
E não desistas
Do fruto alcançar.
 
M.V., 12 de Outubro de 2008

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Inferno de Dan Brown


O livro Inferno de Dan Brown foi um dos meus presentes de Natal, e é essa a minha leitura recreativa do momento. Avanço devagar, devagarinho pois o tempo é escasso e a época de exames aproxima-se pelo que os estudos por agora consomem-me quase completamente.

Mas a história do livro envolve-me completamente e tenho que me forçar a fechá-lo para dormir! O assunto central é perturbante, trata-se da sobre-povoação do mundo... das consequências que tal acarreta a nível de sustentabilidade, epidemias, etc., e no meio alguém que tenta disseminar metade da população mundial.

Diariamente nos noticiários, jornais e afins lemos notícias que espelham a preocupação sobre as baixas taxas de natalidade, mas raramente se lê sobre a problemática de haver gente a mais neste nosso pequeno planeta... provavelmente só quando ele explodir... aí será tarde demais!

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Pára de gritar!

10 steps to stop yelling, um artigo da autoria de Laura Markham, disponível no site psychology today, apesar de não ser novidade para mim, recorda-me que às vezes deixamos que as emoções tomem conta de nós e tenham impacto demasiadas vezes negativo sobre aqueles que nos rodeiam!

Não é muito frequente eu gritar... mas não sou perfeita e confesso que naqueles momentos que o meu filho me deixa de cabelos em pé, a minha voz sobe acima daquilo que seria desejável. Não obtenho melhores resultados do que se falar calmamente com ele... ele parece só escutar quando o assunto lhe interessa e por vezes é perito em se fazer de surdo!

Um artigo que vale a pena ler, e certamente vou tentar aplicar os 10 passos propostos ao meu quotidiano!