sexta-feira, 13 de abril de 2018

quarta-feira, 11 de abril de 2018

É preciso sorte...

Como estava bom tempo e como esta semana o meu horário de saída é às 16.20, resolvi aproveitar a oportunidade e fazer uma caminhada até casa!
É uma caminhada que em passo acelerado pouco mais dura do que quinze minutos... Quinze preciosos minutos para descomprimir e relaxar...
Mas tive azar... A meio do percurso abateu se sobre mim uma chuva insistente, as gotas impelidas pelo vento atingiam o meu rosto... E eu so pensava em acelerar o passo para evitar ser molhada e nao piorar a minha constipação!
Por favor S. Pedro, na proxima vez aguenta a chuva mais 10 minutitos!

Entrei em casa com aspecto de cao molhado! Baaahhh...

Ironicamente parou de chover.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

As Doenças e a Indústria Farmaceûtica

Diariamente nas notícias se ouve falar sobre doenças. Um dia um milhão sofre disto, outro dia um milhão e meio sofre daquilo. Fazendo as contas acho que não existe por aí qualquer ser humano saudável.

É grave e a maior parte das pessoas simplesmente se deixa cair e aceita sem qualquer questionamento o veredicto médico.

Grave são também as doenças mentais que supostamente hoje em dia assolam as crianças. O caso mais gritante é o da TDAH (transtorno de déficit de atenção com hiperatividade). Qualquer criança que não se enquadre nos modelos pré estabelecidos é logo rotulada e o seu futuro fica a priori comprometido.

Algumas vozes fazem se ouvir no meio médico, que actualmente mais parece um negócio! Algumas vozes se fazem ouvir numa sociedade em que a diferença não é tolerada (embora cinicamente todos achem que sim!)

A propósito deste tema hoje li este artigo: Renowned Harvard Psycologist says ADHD is largely a fraud.



terça-feira, 3 de abril de 2018

acima de tudo ame

KAUR, Rupi. Outros jeitos de usar a boca. São Paulo: Planeta, 2017.

E é isto o que importa na vida! A relação que temos com os outros... 
tudo o resto é supérfluo e efémero 

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Dia cheio... de coisas boas!

A Páscoa já lá vai, e felizmente deixa boas recordações. É um feriado religioso, mas como já todos sabem (acho eu) não pratico nenhuma religião, embora tente explicar aos meus filhos o porquê das celebrações, para que nem o Natal seja tido como apenas presentes trazidos pelo Pai Natal ou a Páscoa como ovos escondidos nos jardins e quintais pelo Coelho ou pelos Sinos da Páscoa.

Não obstante para as crianças o ponto alto da Páscoa é a procura dos ovos da Páscoa... e de seguida comer tantos quantos os pais deixarem! Como sempre o coelho exagerou na quantidade e só o meu filho mais velho encontrou 132 guloseimas... um exagero e é por isso que 2 vezes por ano dou a volta a tudo para ver o que já passou do prazo de validade. Se não me engano ainda estão em casa 2 coelhos de chocolate do ano passado... sim, no dia até deixo que cometam alguns abusos... mas depois voltamos às regras, o que significa não abusar dos doces!

Depois da procura dos ovos, uns agradáveis momentos de diversão em família e um bom almoço como manda a tradição. O tempo ajudou e o sol foi tão simpático que pudemos aproveitar muito bem o tempo ao ar livre.

Já de regresso a nossa casa dei uns toques na bola com o mais velho e de seguida fomos fazer um agradável passeio de bicicleta e triciclo para explorar as redondezas!

Foi sem dúvida um dia bem passado.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Love it...

Adoro as músicas de Leonard Cohen... ainda hoje me lembro do dia em que o descobri pela primeira vez, misturado na grande colecção de discos dos meus pais. Mais tarde quando tive o meu primeiro leitor de CD's portátil, andava sempre a ouvir o único CD que tinha dele. Um dia andava eu no 6º ano, embriagada pelo som da sua voz e música, fui abordada por um conhecido do 11º ano. Perguntou: o que andas a ouvir? Respondi: Leonard Cohen... ainda me lembro do seu rosto espantado perante a minha resposta. Quem diria que uma cachopa de 11 anos teria este gosto musical?

quarta-feira, 21 de março de 2018

Felicidade


"Quando fores crescido, hás de querer ser feliz. Por enquanto não pensas nisso e é por isso mesmo que o és. Quando pensares, quando quiseres ser feliz, deixarás de sê-lo..."

José Saramago in Claraboia

sexta-feira, 16 de março de 2018

Anonimato

Há desabafos que nem no anonimato de um blog cabem... sobretudo quando o blog não está tão no anonimato como inicialmente projectado.

Então não se desabafa, ou tenta-se esconder os desabafos entre palavras e linhas que nunca serão lidas. Talvez do topo de um monte, gritá-los ao vento ajude...

Chegado ao fim... eis a minha opinião

Terminei ontem a leitura do livro A sentinela de Richard Zimler e devo dizer que me prendeu do princípio ao fim superando todas as minhas expectativas.

Não sei bem como classificar o livro. Talvez tenha um pouco de romance, misturado com policial. Hank e o irmão Ernie são os personagens principais da narrativa. Irmãos com uma ligação muito especial marcados por um passado sombrio, que são obrigados a reviver mais de 30 anos depois. Hank, é detective da polícia e vê-se confrontado com um crime de contornos especiais que o fazem regressar ao passado. Entre avanços e recuos somos surpreendidos com o modo como a história termina, ficando a lição de que nada na vida é tão simples e linear quanto parece.

Recomendo a leitura!
A próxima leitura já está escolhida: O meu nome era Eileen de Otessa Moshfegh - vencedor do Prémio Pen/Hemingway e finalista do Man Booker Prize.